NOTÍCIAS
ANTERIORES
Terra, espaço de cidadania, é tema de encontro
27/08/2008 - Informes

Realizou-se, em Erexim, nos dias 17 e 18 de julho, o seminário Terra, Espaço de Cidadania, terceiro encontro sobre o tema, promovido pelo Conselho de Missão entre Índios (COMIN). Os dois encontros anteriores foram "A IECLB e a questão agrária e indígena", em 2005, na cidade de Palmitos (SC), e "Terra, um tema candente/urgente na IECLB", em 2007, em São Leopoldo (RS).

"Este seminário teve um caráter mais regional", revela o coordenador programático do COMIN, Hans Trein. O objetivo foi continuar trazendo para dentro da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) o tema da terra, nas suas diferentes dimensões e demandas, os diferentes conceitos de propriedade, a questão da posse e uso, aportes bíblicos e teológicos. "Nos tempos atuais e pelo viés da massiva preocupação ambiental que o aquecimento global espalhou na opinião pública, é urgente e oportuno que a IECLB sistematize a sua experiência e reflexão teológica sobre a terra." O encontro teve a assessoria do professor Leonel Piovezana, da Universidade de Chapecó (SC).

Conflitos que envolvem públicos ligados à IECLB, COMIN e CAPA são uma realidade. "Mas eles podem e devem ser trabalhados", confirmou Trein. O Estado brasileiro dispõe de leis e órgãos encarregados. Às igrejas cabe o papel de acompanhar os processos, denunciar interesses excusos e corrupção e auxiliar com ações afirmativas para que na seqüência possa haver convivência reconciliada.

A própria Fundação Luterana criou e está a frente da articulação de um fórum de mediadores de conflito, com representantes da Fundação, da IECLB, do COMIN, do CAPA e organizações parceiras que tenham ligação com o tema. A idéia é criar um espaço de promoção do diálogo, de reflexão e de ações preventivas de conflitos, em assuntos que envolvem questões de terra e de etnia.

No final do encontro, algumas idéias foram anotadas para seguimento:

· A possibilidade de promover um seminário, reunindo pelo menos dez representantes indígenas, dez representantes quilombolas e dez representantes de pequenos agricultores, mais assessores e moderadores, para promover o diálogo e o intercâmbio de modos de conceber e lidar com a terra.

· Semear a idéia de um tema bienal sobre a Terra no Conselho da Igreja.

· Sistematizar a experiência acumulada da IECLB no trato do tema terra, por exemplo, desde o Concílio de Panambi em 1972, que decidiu acompanhar migrantes para Novas Áreas de Colonização e para as cidades, até os dias de hoje.

· Ter um posicionamento teológico sobre diferentes aspectos, de modo que a IECLB possa reagir mais agilmente frente a situações de conflito como a da Aracruz Celulose, a Raposa Serra do Sol, a das papeleiras etc. O tema da terra é visto em estreita ligação com o tema da água.

Do encontro em Erexim participaram o 2o. pastor presidente da IECLB, Carlos Moeller, o pastor sinodal do Sínodo Planalto Rio-grandense, João Willig, o pastor sinodal do Sínodo Uruguai, Erwin Barg, o pastor vice-sinodal do Sínodo Norte Catarinense, pastor Inácio Lemke, a coordenação do núcleo Erexim do CAPA, técnicos do CAPA, representantes indígenas dos Xokleng, Kaingang e Guarani, representante quilombola, representantes de pequenos agricultores, obreiros/as e conselheiros/as do COMIN. A FLD participou com o seu secretário executivo, Carlos Gilberto Bock, a assessora programática, Ana Cristina Kirchheim, e as estagiárias na FLD, ligadas às Faculdades EST, Patrícia Flores Teixeira e Kátia Petzold da Silva.