NOTÍCIAS
ANTERIORES
Povos indígenas da região sul lançam Plano Emergencial de Enfrentamento à Covid-19
24/07/2020 - Informes

Para combater a pandemia da Covid-19, doença que vem afetando, cada vez mais, os povos indígenas dentro e fora de seus territórios tradicionais, os povos do sul do país lançaram, na tarde desta sexta-feira (24), o Plano Emergencial de Enfrentamento à Covid-19 para os povos e territórios indígenas da região sul.

A ação é uma realização da Articulação dos Povos Indígenas do Sul (Arpinsul), da Comissão Guarani Yvyrupa (CGY) e da Frente Indígena e Indigenista de Enfrentamento ao Covid-19 na região sul, da qual COMIN faz parte, e está vinculada ao Plano Emergência Indígena da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), que busca pressionar o governo federal a cumprir o seu papel e buscar soluções a curto, médio e longo prazo para as violências sofridas pelos povos indígenas durante a pandemia.

O lançamento, que aconteceu de forma virtual, contou com a presença de lideranças de organizações indígenas regionais e nacionais, representantes de organizações indigenistas e apoiadoras e apoiadores. O plano foi apresentado pela coordenadora da Comissão Guarani Yvyrupa, Kerexu Yxapyry, e pelo coordenador da Arpinsul, Marciano Rodrigues Guarani.

O coordenador de FLD-COMIN, Sandro Luckmann, afirmou que o lançamento do plano é como um grito de resistência, esperança e luta dos povos indígenas para o enfrentamento da pandemia. “Queremos seguir nesse esforço de continuar juntando forças, lutando pelo direito e pela vida de todas as pessoas”, reforçou. O COMIN é parceiro na ação colaborativa de elaboração do plano e apoiador para execução. A articulação e força conjunta para a realização da ação foram exaltadas, durante o lançamento, pela secretária executiva da Fundação Luterana de Diaconia-Conselho de Missão entre Povos Indígenas-Centro de Apoio à Agroecologia (FLD-COMIN-CAPA), Cibele Kuss. Ela ressaltou ainda o compromisso da organização na afirmação da interculturalidade e cooperação ecumênica na defesa de direitos dos povos indígenas.

Sobre o plano

O Plano Emergencial de Enfrentamento à Covid-19 para os povos e territórios indígenas da região sul está organizado em sete eixos e estes em medidas sistemáticas para o enfrentamento adequado à pandemia de Covid-19. São eles: manutenção e subsistência das comunidades (segurança alimentar e nutricional, recursos materiais e itens básicos, saneamento básico, atividades produtivas e alternativas econômicas); comunicação, informação e educação para a saúde (central de comunicação da região sul, mapa de localização dos povos indígenas na região sul, campanhas); atenção à saúde (infraestruturas de saúde, equipes de saúde, equipamentos de proteção individual – EPI); vigilância e diagnóstico (testes de Covid-19); cuidados e tratamentos (unidades de isolamento e tratamento, assistência a pacientes); gestão de crise (planos de contingência-PC locais); e direitos, segurança e justiça.

O processo colaborativo de construção das ações prevê atuação conjunta entre comunidades indígenas, entidades públicas, organizações da sociedade civil e movimentos sociais, prezando pelo fortalecimento do subsistema de saúde indígena do Sistema Único de Saúde (SUS) mediante proposições para aperfeiçoar os planos de contingência distritais, municipais e estaduais quanto às necessidades dos povos indígenas e aos princípios de integralidade, interculturalidade e cooperação que estão na base da saúde indígena.

Em conexão com o tema da saúde, diversas medidas estruturantes em comunicação e informação, educação e serviços básicos são associados, considerando o caráter sistêmico e os efeitos prolongados do impacto da pandemia, compreendendo a conexão entre ações emergenciais e a perspectiva de um impacto no período de pós-pandemia.