NOTÍCIAS
ANTERIORES
Colóquio trata da diversidade étnico racial e contará com indígenas em sua programaçãoo do COMIN
12/11/2019 - Informes

A quinta edição do Colóquio As Mil Humanidades inicia amanhã (13) e terá o primeiro dia voltado especialmente para a temática indígena. Durante a manhã, a assessora de projetos do COMIN, Kassiane Schwingel, e as acadêmicas indígenas Luana da Silva e Ivanilde da Silva, dos povos Kaingang e Mbya Guarani, respectivamente, irão falar sobre o tema “Luta e resistência dos povos indígenas no Brasil”.

No restante do dia, serão realizadas duas oficinas: “Estratégias didáticas para a inclusão da temática indígena no currículo a partir da lei 11.645/08”, para docentes, e “Quebrando estereótipos: estratégias para discussão da temática indígena na escola e na sociedade”, para alunas e alunos de matemática e demais estudantes interessadas e interessados no tema.

O Colóquio As Mil Humanidades acontece anualmente em novembro. Esse ano, com o tema “Quebrando preconceitos e construindo respeito”, o evento será realizado nos dias 13 e 14 e tem como foco a educação para a diversidade étnico racial, sendo composto por temas relativos às populações indígenas e negras. O colóquio está vinculado ao Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) Campus Ibirubá e tem a pretensão de problematizar a condição humana na contemporaneidade, discutindo as múltiplas faces da humanidade e seus desdobramentos na sociedade, na cultura e na educação. As pessoas membras do NEABI, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade (NEPGS) e Coletivo Ovelhas Negras coordenam a programação.

 

Confira a programação completa:

DIA 13/11

MANHÃ – Das 10:15 às 12:10 – Fala da assessora de projetos do COMIN Kassiane Schwingel e das estudantes indígenas Luana da Silva (povo Kaingang) e Ivanilde da Silva (povo Mbya Guaraní): “Luta e resistência dos povos indígenas no Brasil”

TARDE – Das 15:00 às 17:00 – Oficina para docentes, oferecida pelo COMIN: “Estratégias didáticas para a inclusão da temática indígena no currículo a partir da lei 11.645/08”

NOITE – Das 19:00 às 21:00 – Oficina para alunas e alunos da Matemática e demais estudantes que tenham interesse pelo tema, oferecida pelo COMIN: “Quebrando estereótipos: estratégias para discussão da temática indígena na escola e na sociedade”.

DIA 14/11

MANHÃ – Das 10 às 12:10 Fala da professora Janaína Sá (IFFAR – Campus Júlio de Castilhos): “Pretas no branco: relatos de autoria negra”

MEIO-DIA – Almoço por adesão: feijoada quilombola organizada por membras e membros do Quilombo localizado na Vila Padre Osmari, no município de Colorado, servida no próprio Campus

TARDE – Das 13:15 às 15:00 – Diferentes oficinas, para as quais será aberta inscrição prévia

OFICINAS – das 13:15 às 15:00

Mediante inscrição presencial na quarta-feira, 13, pela manhã

Oficina 1
“Narrativas orais nas Comunidades
Quilombolas”(Vanda Favero Pino – TAE do IFRS
Campus Sertão, e alunas bolsistas que moram nos
Quilombos de Arvinha e Mormaça).

Oficina 2
“Abordagens sobre a temática negra na escola”(Janaína Sá – professora do IFFAR – Campus
Júlio de Castilhos)

Oficina 3
“Cultura negra: confecção das bonecas Abayomi e amarração de turbantes”(Ana Maria da Rosa Prates – professora da rede estadual de educação em Passo Fundo)

Oficina 4
“Minha capoeira tem cor e tem nome”(Valdir Leonardo Rodrigues “Jamaica” – professor de
capoeira pela Associação Capoeira Angola Navio Negreiro ACANNE)