NOTÍCIAS
ANTERIORES
DENI ADQUIREM EXPERIÊNCIA DE MANEJO NA RESERVA MAMIRAUÁ-TEFÉ/AM
08/10/2009 - Informes

Representantes Deni do rio Xeruã/Itamarati-AM, eleitos pela IV. Assembleia do povo Deni em agosto deste ano, se deslocaram no mês de setembro de 2009 das suas aldeias para o município de Maraã-AM, localizado no rio Japurá, afluente do rio Solimões para adquirir experiência na contagem de pirarucu com técnicos do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá-Tefé/AM e com pescadores de Maraã.

A visita e a experiência fazem parte do projeto de manejo de lagos do COMIN de Carauari, apoiado pelo Evangelischer Entwicklungsdienst (EED) e da Fundação Luterana de Diaconia (FLD). Os Deni foram bem recebidos pela Colônia de Pescadores Z 32 de Maraã, contando do início do manejo com poucos participantes-membros e poucos pirarucus em 1999. Eles partilharam também as dificuldades na conscientização da população a respeito do manejo. Até hoje há pessoas que não obedecem as regras do manejo. Em 2002 os pescadores foram autorizados pelo IBAMA a comercializar 120 pirarucus. Hoje a colônia tem 700 associados e tem uma cota do IBAMA de 3.500 pirarucus. A cota é resultado da contagem do ano passado. Isto mostra a importância da contagem. Os contadores de Maraã foram treinados em cursos pelos técnicos de peixe do Instituto Maraã que incentivaram também o manejo em 1999.

Nos dias 17 a 25 de setembro de 2009 os seis representantes participaram de um curso de monitoramento e qualidade do pescado no auditório da Secretaria Municipal de Maraã-AM, junto com 18 monitores da Colônia dos Pescadores. O curso foi ministrado pelos técnicos de peixe Ruiter Bragado da Silva e Diórgenes Bragado de Miranda do Instituto Mamirauá e propiciou o treinamento de monitoramento de pirarucu na época da pesca. O treinamento tinha como conteúdo o preenchimento da ficha oficial com colunas para medição, peso, sexo, comprimento, material de pesca e a transposição das fichas manualmente preenchidas para o computador. Além do monitoramento foi destacada a importância do cuidado da qualidade do manejo de pirarucu com a melhoria da infra-estrutura para higienização do pescado antes, durante e após a pesca. O lema é "Cuidar da Qualidade do Pescado é saudável para quem come e para quem vende!". Todo o processo do manejo é uma integração de conhecimentos teóricos com conhecimentos práticos.

Nos dias 20 a 23 de setembro os Deni, os técnicos, uma equipe do CIMI-Tefé e os contadores profissionais de Maraã se deslocaram para o lago de Comapi. Depois de uma reunião na beira do lago com a apresentação dos participantes deste curso de contagem de pirarucu os pescadores explicaram a metodologia de trabalho e as regras para um melhor aprendizado. Para um entendimento melhor, cada Deni foi acompanhado por um contador, em uma canoa.

Este método de contar pirarucu já era praticado há muito tempo, porém, não com as técnicas de hoje. Quando um pirarucu respira pescadores experientes são capazes de ver e escutar uma grande quantidade de características. Quando tem mais de um pirarucu em um lago os pescadores conseguem dizer quais são as diferenças que os pirarucus têm. Dessa maneira eles conseguem dizer também quantos existem no lago. Além disso, o pescador experiente sabe dizer se o pirarucu é pequeno ou grande. O grande bóia a cada 20 minutos, o pequeno a cada 10 a 15 minutos. As contagens são importantes para saber a quantidade de pirarucus no lago. Pela lei atual os pescadores podem retirar 30% dos peixes grandes, com tamanho acima de 150 cm, no ano seguinte a uma contagem.

Os Deni aprenderam rapidamente a técnica de contagem e ficaram animados com vistas a seu próprio projeto de manejo de lago.

O ambiente era de animação por parte de todos, como também as conversas a respeito dos trabalhos realizados. No dia 23 de setembro a equipe se deslocou para a cidade de Maraã. Durante os dias de trabalho estabeleceram-se amizades entre os Deni e os contadores. Eles são pessoas simples, humildes, batalhadoras e acolhedoras, que receberam muito bem os Deni, pessoas vindas de outra região e de costumes diferentes. Os contadores mostraram sempre disponibilidade e atenção. Os participantes concordaram que o curso foi uma experiência muito boa para todos. Por causa da enchente deste ano não foi possível presenciar a pesca do pirarucu. Ficou combinado que os Deni participarão da pesca do pirarucu em Maraã no mês de novembro de 2009. Os Deni convidaram pescadores e os técnicos de peixe para darem um curso no rio Xeruã em 2010.

O COMIN de Carauari agradece à Colônia de Pescadores de Maraã pela acolhida e disposição, aos técnicos do Instituto de Mamiraú, que souberam ministrar com sabedoria os cursos de monitoramento e de contagem de pirarucu, e à equipe do CIMI-Tefé pelo apoio e pela colaboração fraternal. Um pescador falou para os Deni, numa noite durante o acampamento no lago: "Depois de pensar como estava antes e como está hoje alegro-me ao ver o lago cheio de pirarucu de novo. Parece que os peixes estão falando com a gente. Preservar foi e é uma luta!"