NOTÍCIAS
ANTERIORES
COIAB manifesta repúdio contra a declaração de Bolsonaro na ONU
26/09/2019 - Manifestos

A Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) também se manifestou contra as declarações do presidente Jair Bolsonaro durante pronunciamento na abertura da Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, através de uma nota de repúdio. Chamando o discurso de “ataque racista e genocida”, a COIAB afirma, no documento, que Bolsonaro mentiu e legitimou a ação de inimigos históricos dos povos e territórios indígenas, o que acarreta no aumento da violência, mortes e crimes ambientais, como as queimadas que vêm ocorrendo.

Além disso, atesta que a indígena Isani Kalapalo, escolhida para compor a delegação brasileira que acompanhou Bolsonaro em Nova Iorque, não representa os povos indígenas da Amazônia Brasileira. “A declaração de Bolsonaro é falso relacionado aos povos indígenas, contendo dados inexistentes e incorretos demonstrado a característica própria deste governo considerado por todos os povos amazônicos e do Brasil como um mal para todos nós. As riquezas dos povos indígenas não podem ser extintas pelo governo bolsonaro, e nem tão pouco ser negociada, por afetar diretamente a vida de milhares de indígenas do Brasil”, afirmou a nota.

 

Confira a nota na íntegra:

 

NOTA DE REPÚDIO CONTRA A DECLARAÇÃO DE BOLSONARO NA ONU.

A Coordenação das Organizações Indigenas da Amazônia Brasileira – COIAB com apoio de suas bases territoriais nos estados amazônicos do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, representante de mais de 180 povos, mais de 430 mil populações indígenas, mais de 300 organizações indígenas e seus mais de 430 territórios, vem a público manifestar VEEMENTE REPÚDIO contra a declaração realizada pelo presidente do Brasil, senhor Jair Messias Bolsonaro no Plenário da Assembleia-Geral das Nações Unidas neste dia 24 de setembro 2019.

O ataque racista e genocida atingiu diretamente os povos indigenas, suas organizações sociais representantivas e lideranças tradicionais reconhecida local, nacional e internacionalmente, como é o caso da liderança Sônia Guajajara representante da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil-APIB e cacique Raoni Kaiapo é liderança reconhecido pelos seus cinquenta anos de atuação em prol dos povos indígenas e apoiamos sua indicação para o prêmio Nobel da Paz. que nos representa. Desta forma afirmamos que a índia levada pelo presidente da república, Isani Kalapalo não representa os povos indígenas da Amazônia Brasileira, As afirmações do presidente deixa claro que suas declarações falsas aumenta cada vez mais a violencia, mortes, crimes ambientais como é o caso das queimadas, legitimando as ações dos invasores e históricos inimigos dos povos e territórios indígenas, que a todo a custo tentam expulsar os nossos povos e invadir suas terras.

É reconhecido no mundo todo de que as riquezas naturais e culturais nos territórios indígenas, apresenta o equilíbrio ambiental e de todo planeta e claramente as áreas urbanas tem seus impactos que penalizam a vida das pessoas. A declaração de Bolsonaro é falso relacionado aos povos indigenas, contendo dados inexistentes e incorretos demonstrado a característica própria deste governo considerado por todos os povos amazônicos e do Brasil como um mal para todos nós. As riquezas dos povos indígenas não podem ser extintas pelo governo bolsonaro, e nem tão pouco ser negociada, por afetar diretamente a vida de milhares de indígenas do Brasil.

Para isso exigimos o bem viver, unidade de pensar e respeito a visão e modo de vida específica dos povos indígenas do Brasil, o papel fundamental do mandatário do país é governar para a inclusão de todos que nela habitam, com a responsabilidade de garantir os direitos fundamentais e sagrados a vida e ao território. Pela declaração na mais alta corte da ONU com ameaças e atos concretos contra a vida dos povos indígenas brasileiros repudiamos inteiramente seu posicionamento e solicitamos as penalidades e sanções cabíveis ao governo brasileiro por ameaçar a vida da humanidade e dos povos indigenas originários do Brasil e a Amazônia.

Manaus/AM, 24 de setembro de 2019.

COORDENAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES INDÍGENAS DA AMAZÔNIA BRASILEIRA-COIAB

CONSELHO INDIGENA DE RORAIMA-CIR

ASSOCIAÇÃO DOS POVOS INDIGENAS DA TERRA INDIGENA SÃO MARCOS-APITSM

ASSOCIAÇÃO DO POVO INDIGENA WAIWAI-APIW

FEDERAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES INDGENAS DO RIO NEGRO-FOIRN

ORGANIZAÇÃO DOS POVOS INDIGENAS DO ALTO MADEIRA-OPIAM

FEDERAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E COMUNIDADES INDIGENAS DO MÉDIO RIO PURUS-FOCIMP

ORGANIZAÇÃO DOS POVOS INDIGENAS DE RONDÔNIA, NOROESTE MATO GROSSO E SUL DO AMAZONAS-OPIROMA

FEDERAÇÃO DOS POVOS E ORGANIZAÇÕES INDIGENAS DE MATO GROSSO-FEPOIMT

FEDERAÇÃO DOS POVOS INDIGENAS DO PARA-FEPIPA

COORDENAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E ARTICULAÇÕES DOS POVOS INDIGENAS DO MARANHÃO-COAPIMA

ARTICULAÇÃO DOS POVOS E ORGANIZAÇOES INDIGENAS DO AMAPA E NORTE DO PARA-APOIANP

ASSOCIAÇÃO INDIGENA KAXUYANA TUNAYANA KAHYANA-AIKATUK

ASSOCIAÇÃO INDIGENA PUSURU-AIP MUNDURUKU

ASSOCIAÇÃO DAS GUERREIRAS INDIGENAS DE RONDÔNIA-AGIR

ORGANIZAÇÃO INDIGENA ORO’WARI DE GUAJARA MIRIM RONDÔNIA

ASSOCIAÇÃO DO POVO INDIGENA KARITIANA AKOT PYTIM ADNIPA-APK

POVO AMANAYÉ ARARAND`EWAR- PARÁ

CONSELHO GERAL DA TRIBO SATERÉ-MAWÉ-CGTSM

ASSOCIAÇÃO DOS POVOS INDIGENAS WAIANA APALAI-APIWA

CONSELHOS DAS ALDEIAS WAJAPI-APIMA

ASSOCIAÇÃO INDIGENA XAVANTE NOROTSU’RA-ASIXNOR

POVOS INDIGENAS DO ESTADO DO ACRE