NOTÍCIAS
Abril foi mês importante para trabalhar a temática indígena nas escolas
13/05/2019 - Informes

Em abril, a temática indígena ganha maior visibilidade por ser, esse, considerado o mês indígena. Nas escolas não é diferente e aproveitamos esse espaço para compartilhar boas experiências do trabalho sobre povos indígenas em escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental da região sul.

O COMIN tem apoiado esse trabalho de diferentes formas: através de formações a grupos de docentes, disponibilização do material da Semana dos Povos Indígenas, empréstimo de materiais que fazem parte do cotidiano indígena – como bichinhos, instrumentos musicais indígenas, filtros dos sonhos e grafismos –, e repasse de contatos de pessoas e comunidades indígenas.

As ideias desenvolvidas nessas experiências têm o objetivo de valorizar a presença indígena na atualidade e, ao mesmo tempo, fugir dos estereótipos que envolvem essa temática. No entanto, é preciso lembrar que esse trabalho deve ser feito durante todo o ano, e não apenas em abril, sendo ele um tema transversal.

Escolas ensinam através de diversos materiais

Na Escola Municipal de Educação Infantil Emma Ramos de Moraes (Montenegro/RS), as crianças puderam conhecer o artesanato do povo Kaingang e também fazer um filtro dos sonhos humano, através de uma linha de costura. Na mesma cidade, na Escola Municipal de Educação Infantil Santo Antônio, professoras e professores propuseram uma atividade em que bebês colocaram imagens de crianças indígenas com imagens de crianças não indígenas, para que de forma simples e direta, estas fossem reconhecidas como parte da sociedade. Já as crianças maiores da escola, puderam manusear artesanatos indígenas e o material da Semana dos Povos Indígenas 2019 para explorar as imagens. Um grupo de dança Kaingang também se apresentou no local.

Em Esteio (RS), na Escola Paulo Freire, alguns dos materiais que chamaram a atenção foram o pau de chuva, instrumento musical construído pelo povo Karitiana, e os bichinhos confeccionados pelo povo M´bya Guarani. Ambos foram emprestados através dos kits do COMIN. O mesmo material foi utilizado na Escola da Rede Sinodal em Novo Hamburgo (RS), juntamente com o material da Semana dos Povos Indígenas 2019. Assim, as crianças puderam ver imagens que retratam indígenas na atualidade e puderam identificar, com a ajuda do caderno, os materiais que estavam em suas mãos. Elas também aproveitaram para fazer desenhos e colorir. Também em Novo Hamburgo, a rede municipal de ensino aproveitou o mês de abril para fazer uma visita à comunidade Kaingang Por Fi Ga de São Leopoldo (RS).

Compartilhe experiências

Você, professora e professor, já trabalhou sobre a questão indígena em sala de aula? Compartilhe conosco o que vem sendo feito na sua escola e/ou como tem se utilizado do material do COMIN! Ou mande um email para cominprofordi@est.edu.br para saber mais sobre esse trabalho.