NOTÍCIAS
Rondônia recebe equipe para última reunião do ano
13/12/2018 - Institucional

Com o objetivo de analisar o trabalho realizado durante o ano de 2018 e projetar os planos e ações do próximo ano, a equipe de assessoras e assessores de projeto, coordenação programática e coordenação administrativa do COMIN e coordenação programática da Fundação Luterana de Diaconia (FLD) esteve reunida, entre os dias 03 e 07 deste mês, em Ji-Paraná, região central de Rondônia, para a última reunião de Planejamento, Monitoramento e Avaliação (PMA) do ano.

O grupo iniciou a semana com uma formação sobre a análise da conjuntura, a história de Rondônia e o contexto dos povos indígenas no estado. As falas foram feitas pelas lideranças indígenas Maria Leonice Tupari, coordenadora da Associação das Guerreiras Indígenas de Rondônia (AGIR), e Heliton Gavião, coordenador da Coordenação dos Povos Indígenas (COPIR), e pela professora do Instituto Federal de Rondônia – campus Ji Paraná, Drª Lediane Fani Felzke.

O COMIN atua há quase 13 anos na região central de Rondônia com o povo Karo Arara que pertence à Terra Indígena (TI) Igarapé Lourdes, atendendo uma população de 366 pessoas. O trabalho, desenvolvido pela assessora de projetos Jandira Keppi, é feito por meio de três grandes frentes: assessoria jurídica a pequenos e grandes eventos sobre direitos coletivos, contribuição na implementação da gestão territorial e ambiental, e diálogo inter-religioso com a sociedade em geral. Durante duas tardes, a equipe visitou as duas principais aldeias da TI Igarapé Lourdes: Paygap e Iterap. Com a visita às aldeias, que ficam cerca de 70 km de distância de Ji-Paraná, o grupo teve a oportunidade de estar perto do povo Karo Arara, ao mesmo tempo em que o povo e suas lideranças puderam conhecer a equipe do COMIN e FLD.

Durante toda a semana, o grupo também discutiu e avaliou questões como o orçamento, prestação de contas, política de gestão de pessoas, relação com a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e os relatórios e planejamento de Pão para o Mundo (PPM), planos dos campos de trabalho, PROFORDI e da comunicação para o próximo ano.

Para a assessora de projetos Noeli Falcade, os cinco dias de reunião e intenso trabalho tiveram saldo positivo. “Foram momentos de colocar as dificuldades, as dúvidas, os impactos e as perspectivas do trabalho com os povos indígenas. A cada encontro de PMA, avalio que estamos construindo um caminho de diálogo aberto, coletivo e de compromisso”, afirmou. Além disso, segundo ela, fazer essas reuniões em lugares distintos permite que se conheça o espaço e dinâmicas de trabalho das e dos colegas no apoio aos povos indígenas. Conforme Noeli, “os indígenas do povo Arara, que visitamos, foram muito receptivos e demonstraram muita gratidão pelo trabalho realizado pelo COMIN”.