NOTÍCIAS
Lançamento do material da Semana dos Povos Indígenas 2018
16/04/2018 - Campos de trabalho

Um dia lindo, ensolarado e alegre reuniu as comunidades das aldeias Guarani do norte de Santa Catarina, no dia 13 de abril de 2018, na Aldeia Pindoty, Terra Indígena Pindoty, em Araquari, para o lançamento do Caderno da Semana dos Povos Indígenas 2018.
O Caderno tem como tema: “Pindoty, Irapuá e Guapoy: Três comunidades Guarani Mbya lutando pela Terra”. O material foi desenvolvido por três comunidades Guarani Mbya do sul do país. Elas mostram como o seu mundo e o seu modo de ser estão sendo ameaçados, especialmente pela falta de um lugar seguro para morar, plantar, caçar, pescar, rezar e criar em paz as crianças.
Cada uma dessas comunidades, assim como muitas outras comunidades, vive em uma situação de insegurança em relação à terra: terra pequena demais, terra inacessível, terra invadida, terra pouco fértil, acampada em pequena faixa de terra na beira da estrada.
O material tem como objetivo dar visibilidade a esta situação de injustiça que o povo Guarani vem sofrendo, desde o início dos processos de colonização. O material serve como ferramenta de luta e como oportunidade de formação e de diálogo intercultural para a conscientização da sociedade não indígena sobre a necessidade de buscar amenizar e inclusive solucionar as ameaças ao modo de ser Guarani Mbya.
O evento de Lançamento na região foi promovido pelo COMIN e pela comunidade Guarani, e contou com o apoio fundamental da Prefeitura de Araquari, com a infraestrura e transporte das comunidades Guarani do município. Também a direção da Escola Indígena Kirikue Nhamboea, localizada na Terra Indígena Pindoty, foi muito importante no apoio logístico de distribuição de convites, articulação com as prefeituras e suporte na organização do evento. A Prefeitura de São Francisco do Sul também apoiou o evento com o transporte das comunidades indígenas Guarani localizadas no município. O COMIN agradece esta parceria, que tornou possível a reunião de cerca de 200 pessoas.
O evento contou com a apresentação dos corais Guarani das aldeias presentes, seguido das falas das lideranças das aldeias e do Xeramoi Graciliano Moreira, que foi muito importante para a elaboração do material. O Xeramoi, com sua sabedoria, agradeceu a oportunidade de reunir, pela primeira vez, as aldeias da região em um número de pessoas tão significativo, e poderem ser ouvidos e valorizados pelos juruá (não indígenas). O Xondaro, dança tradicional Guarani, também foi realizada pelas comunidades e a diversidade do artesanato embelezou o evento. Os representantes não indígenas também tiveram um momento de fala, com destaque para representante do prefeito Clenilton, da Prefeitura de Araquari, que segundo o próprio prefeito reitera, as comunidades Guarani devem ser respeitadas e tratadas com igualdade pelo município, assim como os não indígenas. O COMIN também agradece a presença e o apoio do Pastor Sinodal do Sínodo Norte Catarinense, Pastor Inácio Lemke, e da Diácona Arlete Prochnow.
A Assessora de Projetos do COMIN, Janaina Hübner, destacou a importância do material como ferramenta de conscientização da sociedade não indígena da região; “precisamos conhecer e valorizar as pessoas que vivem desde sempre na região norte de Santa Catarina, que são as comunidades Guarani, para que elas possam ter seus direitos respeitados e terem uma vida digna ”. Além do Caderno, também foi lançado o Mini-Documentário “Terra Indígena Pindoty: Os Guarani Mbya e a luta pela demarcação”, que retrata as invasões realizadas por não indígenas na Terra Indígena Pindoty, violando os direitos constitucionais dos povos indígenas no Brasil, conquistados na Constituição Federal de 1988. 
Este dia ficou marcado na memória das comunidades Guarani e das pessoas não indígenas da região como um começo de novos encontros entre as diferentes culturas, encontros estes que sejam construídos com diálogo, respeito e vida digna. Que novos dias surjam para o Norte de Santa Catarina.