NOTÍCIAS
IECLB/COMIN e responsabilidade pública
17/07/2017 - Institucional

Foi em 1992, que mais de 40 ministras e ministros da IECLB, provenientes dos Sínodos Vale do Itajaí, Norte Catarinense e Centro-Sul Catarinense foram até o canteiro de obras da Barragem Norte, em José Boiteux/SC, a fim de prestar sua solidariedade ao povo Laklãnõ Xokleng. Já fazia dois anos que o povo estava acampado na Barragem Norte, reivindicando a reparação dos danos e perdas que tiveram com a construção da Barragem. Ela foi construída para proteger Blumenau e as cidades vizinhas das enchentes que aconteciam anualmente. A obra iniciou em 1978, dentro do território indígena. Todos as famílias colonas que iriam ser afetadas pela Barragem, foram indenizadas, menos as indígenas.

Esta visita foi um ato de apoio ao povo Laklãnõ Xokleng, em que a IECLB reconheceu publicamente os direitos dos indígenas de serem indenizados. Houve muita repercussão desta visita. Todos os jornais e redes de TV noticiaram o fato em primeira página. Foi um testemunho público do Evangelho de Jesus Cristo, que quer que estejamos ao lado das pessoas que sofrem injustiças.

E este apoio foi fundamental para que o governo de Santa Catarina finalmente reconhecesse os direitos indígenas. Em um documento, assumiu o compromisso de reestabelecer o equilíbrio ambiental, social e econômico daquele povo. E, realmente, as primeiras obras iniciaram ainda em 1992. Com as mudanças de governo que aconteceram em seguida, tudo foi se esvaziando novamente. Até hoje, o povo continua reivindicando o seu direito e o compromisso do governo. 

Veja como ajudar, assinando e divulgando o manifesto de repúdio e esclarecimento sobre as agressões ao povo Laklãnõ Xokleng no link https://goo.gl/forms/H5Q5WJ3N3cbD4epw1