NOTÍCIAS
ANTERIORES
Estilo de vida moderno pode gerar novas estruturas de dominação entre Norte e Sul
24/05/2010 - Informes

Para além de uma disputa entre o Norte opressor e o Sul oprimido, o mundo testemunha hoje a formação de muitos centros e de muitas periferias, disse o Prof. Dr. Rudolf von Sinner durante a abertura dos trabalhos do XIV Seminário Internacional do Programa de Diálogo Norte-Sul, evento acolhido pela Faculdades EST entre 18 e 20 de maio.

Se muitas pessoas sentem que o Brasil é objeto de opressão do exterior, nomeadamente dos Estados Unidos, pergunte aos bolivianos como vêem este país, questionou Rudolf. "Muito provavelmente, para eles, é o Brasil que tem postura imperialista", sentenciou.

Em menção à fala do escritor judeu austríaco Stephan Zweig, que definiu, em 1941, o Brasil como "o país do futuro", o pesquisador da EST recordou que, apesar de todos os avanços econômicos, sociais, políticos e religiosos, o país ainda enfrenta racismo e discriminação pela cor da pele, classe social ou religião.

"É interessante perceber que tudo aquilo que foi durante muito tempo taxado como alienação e desprezado como religião popular tomou conta do cotidiano", pontuou Rudolf ao indicar que, embora a Teologia da Libertação tenha feito uma opção pelos pobres, os pobres optaram pelo pentecostalismo.

"Os supostos alienados alienaram aqueles que os enxergaram como alienados", afirmou.

Ao sinalizar para o cotidiano enquanto lugar de intercâmbio, o reitor da Faculdades EST, Prof. Dr. Oneide Bobsin, destacou a importância da reflexão acadêmica projetar visibilidade sobre aquilo que a ciência ocidental relegou a não existência.

"Este evento está desafiado a produzir conhecimento não apenas para interpretar, mas também para transformar a realidade dos setores excluídos da sociedade", frisou Bobsin, que destacou a reflexão teológica latino-americana desenvolvida na Faculdades EST ao longo dos últimos 64 anos.

Organizador do seminário internacional, o professor do Instituto de Missiologia Missio, Dr. Raúl Fornet-Betancourt, disse que as relações ambivalentes e contraditórias estabelecidas ao longo da história entre a filosofia e a vida cotidiana estão sendo cada vez mais discutidas.

"Nossa intenção é esclarecer se a vida cotidiana corresponde ao lugar de uma nova colonização ou, pelo contrário, ao lugar de intercâmbio entre o Norte e o Sul", destacou. Para o professor, o fenômeno da vida cotidiana deve ser estudado a partir da preocupação por sua possível colonização no marco do sistema econômico dominante e da forma de vida que propaga em âmbito global.

Em representação à Prefeitura Municipal de São Leopoldo, o Secretário de Planejamento, Marcelo Frisson, disse que o Seminário do Programa de Diálogo Norte - Sul ocorre em meio à crise do sistema capitalista e o emergir de países considerados periféricos.

O secretário enalteceu o acordo firmado entre Brasil, Irã e Turquia referente à troca de combustíveis nucleares e disse que o presidente Lula, embora criticado pela mídia, está realizando um esforço nunca antes visto em prol da paz mundial.

Contando o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Prefeitura Municipal de São Leopoldo, o encontro da Faculdades EST reúne mais de 90 professores/as e estudiosos/as da Espanha, Alemanha, Uganda, Senegal, Cuba, Panamá, Chile, Nigéria, Argentina, Liechtenstein e Coréia do Sul.